Notícias

Flor da Serra do Sul, PR °min °max

Juíza Dra. Branca ganha título de cidadania e agradece citando sua equipe de trabalho

=”javascript:popup(‘/pop-up/noticias.asp?id=547&img=01’);”>Foi um clima descontraído que marcou o título de cidadania honorária outorgado à juíza de Direito da Comarca de Barracão, Branca Bernardi, na noite de quinta-feira no Centro de Eventos de Flor da Serra do Sul.
À vontade, ela agradeceu a homenagem e citou, um a um, o nome  dos componentes da sua equipe de trabalho e de profissionais ligados à Comarca.



Assim, o público ficou sabendo de pequenas características de Cairo, Fernando, Luan, Cristiane, Taís, Márcia, Célio, Aristides, Ana Paula, Geraldo, Valdir, Ivair, Roger, Ricardo, Pablo, Rafael, Ana Carla, Maralisa, Vera, Ivonete, Nelise , Priscila e Gustavo — além da tata Indianara, que cuidou da sua filha Maria Júlia, de 2 anos, única filha de Branca e presente ao evento.



Branca “entregou”: um é mais disciplinado, outro mais descontraído, um sempre conta uma novidade, outro é craque na organização, uma é mais vaidosa, outra mais discreta, uma é mais comunicativa, outra só fala o necessário.
Mas todos, asseverou a juíza, com um ponto em comum: são trabalhadores responsáveis que têm como meta cotidiana resolver os problemas das pessoas. Foi esse também o conteúdo básico do discurso de Branca, conclamando que o serviço público deve estar mobilizado para a justiça e para fazer o bem para as pessoas, “para buscar a felicidade para as pessoas.”



“Divido o título com todos vocês”, sintetizou. Foi o quarto título de cidadania honorária dado a ela, que na quarta-feira, dia, 8, completará 32 anos.
Branca também é cidadã de Bom Jesus, Salgado Filho e Manfrinópilis.


Autoridades
Antes, as falas do presidente da Câmara de Vereadores, Gilmar Duarte (PMDB), e o prefeito Paulo Savaris (PP). Eles elogiaram a homenageada. Para o vereador, o seu “espírito de humanismo e justiça”. “O título é uma gratidão da sociedade pelas ações que a senhora tem feito como agente transformadora, estamos muito gratos”, disse Gilmar.



Na apresentação curricular da juíza, uma série de iniciativas coordenadas pela Comarca, como programas de combate às drogas, eleições simuladas nas escolas para despertar o espírito democrático, estimulo a cidadania, casamento comunitário, estímulo à vida familiar saudável, programa conhecendo a justiça, para estender a lei a mais pessoas, incentivo à cidadania do adolescente, etc.


=”javascript:popup(‘/pop-up/noticias.asp?id=547&img=02’);”>Título vinha amadurecendo
O prefeito Savaris também agradeceu. Lembrou que o título para a juíza vinha “amadurecendo há tempos, desde os tempos do Luiz”, se referindo ao ex-prefeito Luiz Carlos Guimarães (PMDB), também presente no local e que governou o município entre 1993 a 96 e recentemente de 2001 a 2008.
Savaris citou a conhecida passagem do livro O Pequeno Príncipe (do francês Antoine de Saint- Exupéry, obra publicada pela primeira vez na década de 40 nos Estados Unidos), quando disse que quem cativa outro alguém torna-se responsável por ele.



O paralelo se deu em relação à comunidade de Flor da Serra. “Esta homenagem é muito importante para todos; a senhora faz um judiciário humano”, resumiu.
Branca se tornou juíza aos 23 anos, então a mais jovem do estado, em 2001. Assumiu a Comarca em 2003.


Bíblia
Savaris também citou uma passagem da Bíblia, numa metáfora sobre firmeza de propósitos: “Perguntaram a Jesus como chegar ao Reino de Deus e ele respondeu que quem construísse sua casa sobre a rocha, suportaria chuvas e ventos; quem construísse s