Notícias

Flor da Serra do Sul, PR °min °max

O incentivo para diversificar a produção

Na semana passada foi realizado em Flor da Serra do Sul a entrega de mudas de parreira para realizar enxerto e melhorar a qualidade da uva produzida no município. O secretário de Agricultura, Décio Lubachevski, popular Kiko, explica que este é o segundo ano em que é realizada a entrega de mudas de parreiras. As mudas foram compradas sob encomenda, e vem de Videira-SC. Kiko explica que 50% do valor das mudas foi subsidiado pela prefeitura.

Os produtores que quiserem mudas de parreira no ano que vem devem procurar a Secretaria de Agricultura e se inscrever no programa de incentivo. Assim irão receber visitas técnicas para conhecer como é a estrutura da propriedade e saber se precisa ser feita alguma adequação ou melhoria. Durante a visita técnica o produtor recebe informações sobre a melhor forma de realizar o manejo das parreiras conforme a realidade da propriedade.

Em um ano o secretário destaca que tem novos produtores buscando aderir ao cultivo das parreiras, seja para o consumo próprio da uva ou vinho, ou então para a venda. “Os produtores comentam que as mudas são de boa qualidade, e o que nos deixa contentes foi ver que novos produtores aderiram ao programa. No ano passado, por exemplo, os produtores mais velhos pegaram mudas para repor o parreiral, e agora tivemos nomes novos buscando o cultivo da parreira e diversificando a produção”, salienta.

Ao todo foram entregues 433 mudas para cerca de 15 produtores. Conforme o vice-prefeito Alcenir Rimoldi, que é agricultor, a importância dessa ação é o incentivo à diversificação da produção. “Essas mudas são de qualidade, mas muito mais do que a entrega e o subsídio de 50% do valor, o que auxilia o produtor é o acompanhamento técnico do Deuclécio, que visita as propriedades para melhorar e adequar a produção”, enfatiza Ceni.

 O técnico Deuclécio Maraskin, atua através da Secretaria de Agricultura, para fomentar a produção, auxiliando no manejo e cultivo da uva, bem como na produção de vinho e demais produtos. “A uva é uma alternativa, principalmente para o pequeno produtor. Quem tem pouca área de solo, tem muito potencial para desenvolver as atividades dentro da fruticultura, por que se torna rentável. Não só a uva, mas também outras frutas. Cada propriedade tem a sua particularidade, e a produção precisa ser adequada. Mas o maior desafio é conseguir montar uma cadeia de produção que funcione, por que às vezes o produtor tem medo de investir nessa área, plantar, produzir e depois não ter um suporte para comercializar, ou mesmo mercado para consumir a produção. Mas é rentável, é viável, e estamos trabalhando para desenvolver cultivar cada vez mais parreirais na região”, afirma.

A produção familiar

Ari Pompermayer, tem 74 anos é natural do Rio Grande do Sul, e mora em Flor da Serra do Sul há 19 anos. Casado com Ivone, de 68 anos, os dois moram com os filhos e são uma das famílias que compraram as mudas para repor o parreiral. A principal atividade da propriedade é o soja, o grão, mas sempre tiveram parreiras plantadas, mais para o consumo próprio de uva de vinho, que é produzido na propriedade.

A família, tem de área 10 alqueires, mas arrendam terra para o cultivo de grãos. Ao todo são 250 pés de parreira plantados, e mais 35 novas mudas nessa última entrega. Sobre o cultivo da parreira, Ari afirma que não adianta plantar muito, que o objetivo da família é ter o suficiente para produzir para o consumo. “Nós sempre tivemos parreira por que é uma tradição familiar, e não pensando em produção de larga escala ou algo assim. Quando nós casamos, a Ivone que tinha no costume da família beber um pouco de vinho todos os dias reclamava que não tinha vinho, então começamos a plantar e sempre mantivemos as parreiras produzindo”, conta.

A mulher de Ari, Ivone, reforça a tradição do vinho à mesa no almoço. “Na casa do meu pai nunca faltou vinho. Então, logo que casamos, na hora do almoço eu sentia uma falta, e quando visitava meus pais pegava uns litros pra levar pra casa, mas a turma era meio grandinha e se ia logo. Daí começamos a fazer, não dá pra ficar sem”, comenta.

Na propriedade do Ari, o técnico Deuclécio explica que foi realizado o acompanhamento e o repasse de informações sobre o cultivo da uva. “A região onde eles vivem tem um bom solo, um clima favorável para o cultivo o que facilita a produção. Estamos aqui para auxiliar e contribuir tanto no cultivo das parreiras como na produção do vinho, atuando ainda para prevenir as doenças que costumam atingir essa fruta”, finaliza.