Notícias

Flor da Serra do Sul, PR °min °max

Flor da Serra do Sul sobe na avaliação da Câmara Técnica

Todo ano é realizado pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) uma avaliação sobre as ações realizadas em Flor da Serra do Sul em prol do meio ambiente. A chamada Câmara Técnica é responsável pela fiscalização do repasse do ICMS Ecológico do Paraná, eles estiveram no município para avaliar as ações realizadas, como os investimentos de mais de R$ 1 milhão em ações ambientais.

A prefeita municipal, Lucinda Ribeiro de Lima Rosa, o secretário Paulo da Rosa, junto aos demais secretários e representantes do município apresentaram aos avaliadores da Câmara os trabalhos desenvolvidos na área do meio ambiente em 2017 e as metas para 2018. Através do que

foi apresentando pelo município a Câmara avalia as ações e atribui uma nota que vai impactar diretamente no valor que o município recebe através do ICMS Ecológico.

Conforme o Secretário de Agricultura, Kiko Lubacheviski, a nota aumentou em relação ao ano passado, este aumento na nota é resultado da abertura da escola ambiental, que está desenvolvendo um trabalho com crianças do ensino fundamental. “Nosso objetivo é continuar desenvolvendo ações como uma forma de recomposição florestal com a

finalidade de proteger rios, córregos e nascentes. Dessa forma queremos auxiliar na formação de corredores biológicos para a reestruturação da fauna, visando a preservação e a utilização racional dos recursos naturais”, explica Kiko.

ICMS Ecológico

É em Flor da Serra que estão localizadas as bacias do Rio Marrecas e Tamanduá que abastece cidades como Francisco Beltrão. Para proteger estas nascentes, é necessário ações como construção de cercas nas laterais de córregos e rios, proteção de fontes, poços, readequar estradas para diminuir ou eliminar o fluxo de água fluvial das lavouras até os rios. Para o município algumas destas ações significam redução da área produtiva e o ICMS ecológico é uma forma de compensação. Do valor recebido em ICMS pelo município, pouco mais de 40% é proveniente desta nota atribuída pela Câmara Técnica.

“O que já foi divulgado para nós é que os recursos provenientes do ICMS para o ano que vem já estão garantidos e assim poderemos continuar com os trabalhos que já fizemos e ampliar as ações de preservação”, finaliza o secretário de Agricultura.